quarta-feira, 22 de julho de 2015

Capítulo 2 - Linda banheira e estranho no quarto

Capítulo 2
Linda banheira e Estranho no quarto
- Blair Montello


2 minutos antes dos gritos

E lá estava eu, tomando meu banho na minha banheira, do meu quarto, é isso aí, eu tenho um banheiro no quarto com uma banheira. Momento de uma pequena risada maléfica mental. Eu nem acredito nesse sonho que se realizou.
Olhei para o relógio do meu banheiro e já eram 16horas.
E para a nerd Blair Montello, filha do nerd Joy Montello e da mulher menos nerd e mais inteligente da face da terra Jane Marie Montello, isso é tarde para ainda estar tomando banho, isso apenas por que eu comecei o banho há quase duas horas.
A demora no banho também se deve a falta da minha mãe em casa, se ela não estivesse viajando com meu pai ela com toda certeza já estaria me chamando.
E até que eu também estaria viajando com eles, como sempre fazemos nas minhas férias, mas a faculdade vem aí, eu preciso estar preparada para qualquer desafio.
Então eu levantei da minha banheira linda.
- Mas como tu é linda, menina - falei pra minha banheira mandando um beijo.
Meu pai queria me dar um carro de presente de Natal, ai eu disse nada disso pai querido, me dê um banheiro no meu quarto e que tenha banheira e BUH, aí está minha linda, mas como é linda acho que vou chamar assim, Linda. Sequei-me, coloquei um short preto que batia até a metade da minha coxa e uma blusa que ficava até a minha cintura e que continha mangas, estava meio frio e eu AMO O FRIO.
Sai do meu banheiro ainda ajeitando a manga da minha blusa quando encontro um garoto muito gato abaixado admirando meus cd’s, ele vestia um calça jeans escura e acho que uma blusa azul escura que parecia ter um desenho em preto na frente, só sei que amei muito a jaqueta de couro dele.
A jaqueta era linda! Acho que se eu não estivesse meio que assustada de ter alguém no meu quarto, novamente, eu perguntaria onde ele comprou. Então peguei meio taco de beisebol que estava perto da porta do meu banheiro e gritei, eu não estava com tanto medo, apenas um pouco assustada, mas adoro fazer uma ceninha.
- SOCORRO, LADRÃO – comecei a gritar me segurando para não rir.
- Calma, eu não sou ladrão - ele com toda certeza ficou muito assustado, por que em um pulo ele se levantou, quase explodi em gargalhadas, foi hilário. Ele tentou se aproximar e eu fiz mais um pouco de cena.
- Não se aproxime - falei, como sou dramática! Acho que vou fazer um curso de teatro.
- Eu não sou ladrão e não vim fazer mal algum, eu ...
Foi nessa que eu parei de ouvi-lo completamente, pois entendi que ele era mais um dos idiotas do Jake, um dos meus pesadelos que eu reencontrei, infelizmente.
Eu nasci e fui criada em San Francisco e eu era vizinha do Jake Bloom, o garoto metido, rico e considerado pelas garotas fúteis do colégio como garoto mais lindo da escola. No penúltimo ano do fundamental, no baile de fim de ano, o Jake tentou me beijar, ou seja, ele me agarrou e tentou colocar os lábios nojentos dele nos meus.
Um pequeno espaço para uma observação rápida:
Eu realmente não me considero uma garota bonita, não sou magra nem muito gordinha, sou normal, sou alta e tenho cabelo liso castanho até a cintura, minha cara dá pra aguentar olhar e acho que é isso.
Fim da minha observação pessoal.
E já que eu sou uma garota de família, coisa que ele não é, - não que ele não tenha família, até hoje eu acho que ele e adotado por que os pais deles são muito legais mesmo, eu estou dizendo é garoto na linha - eu dei uma joelhada naquele lugar sensível dos homens, o que o fez cair de joelhos no chão e ficar se contorcendo de dor fazendo todos rirem, inclusive eu. Depois disso ele mudou de cidade, um ponto positivo para minha vida.
Mas quando eu completei quatorze anos meu pai decidiu se mudar para San Diego, por que era uma cidade que não havia nenhuma empresa de cosméticos fixa, sendo assim era um ótimo lugar para ele começar e então eu vim com eles. Foi muito duro, pois todos os nossos familiares estavam em San Francisco e eu também tinha minha segunda família na escola. Porém, eu não iria ficar longe dos meus pais, por fim eu os acompanhei. E como eu só tenho pontos positivos na minha vida o Jake mora aonde? Isso mesmo, em San Diego meus caros amigos videntes.
Então quando ele soube da minha chegada ele se dispões a espalhar boatos, que eu sinceramente nunca quis saber. Mas todo idiota que quer fazer parte do grupinho do quarterback da escola tem que passar por um teste, e esse teste é invadir a casa da “A estranha” - que é como eles me chamam, eu só acho que ele viu muito Carrie, a estranha, ficou com medo e como ele tem medo do meu joelho ele me apelidou assim - e tentar pegar a porcaria de um lápis inexistente da irmã mais nova dele!
Então voltando a mim eu o interrompi para poder dar uma pequena estourada para fora, sim agora irei estourar para fora!
- Me deixa adivinhar, você veio pegar um lápis inexistente que é rosa- falei fazendo uma careta -, que o idiota e imbecil do Jake mandou você pegar, por que você quer fazer parte do grupinho idiota e imbecil do Jake por que você também é um idiota e imbecil novo na cidade?! - perguntei e fiz uma cara de curiosidade.
- Como você sabe qu... Ei, eu não sou idiota e imbecil, o Jake eu não sei, mas eu não sou! Talvez um pouco idiota, mas imbecil não! - ele disse e isso realmente me surpreendeu, por que ele insinuou que o Jake talvez seja idiota, eu não acreditei. Até abaixei meu taco de beisebol por que esse garoto merecia meu respeito. Me aproximei dele e estendi minha mão.

- Prazer, meu nome é Blair.

0 comentários:

Postar um comentário