quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Capítulo 4 - Café da manhã surpreendente

Capítulo 4
Café da manhã surpreendente
- Blair Montello



Depois que aquele garoto saiu da minha casa, eu fiquei pensando: Caramba, será que eu ganhei mais um amigo ou mais um inimigo?
- Se for inimigo será que já chegou aos cem? – pensei em voz alta – Será que tem premio para os 10+ que invadiram minha casa? – me perguntei rindo.
Fiquei pensando nisso sentada na escada, quando me dei conta já eram 19 horas e eu estava com fome. Comi o que tinha sobrado do almoço e dormiu como uma pedra.
Acordei ás 11horas e fui tomar um banho na Linda.
Coloquei a primeira blusa que vi e me enfiei no mesmo short. Decidi telefonar para Amélia, uma das minhas únicas amigas na cidade toda. Ela trabalha na locadora que eu vou, assim a gente se conheceu antes dos boatos do Jake e ela se tornou minha amiga. Depois de dois anos viramos melhores amigas.
Peguei meu celular e me joguei na cama já discando seu número que se encontrava na discagem rápida.
- Eu espero que seja algo muito importante para você me acordar de madrugada, BLAIR- ela atendeu ao telefone já me ameaçando, ela não é um amor?
- Bom dia, quase boa tarde, Amélia, tudo bem com você, amiga? Eu estou ótima, obrigada por perguntar!
- De nada! Manda ,diz, cospe, fala logo! - olha a gentileza aí de novo, normalmente Deus banha uma vez só a pessoa com gentileza, minha amiga teve a sorte de ser banhadas umas 20 vezes.
- Preciso te contar umas paradas, mas aqui em casa, vem pra cá, por favor.
- Tua banheira já tá pronta, né?!
- Já sim, por quê?
- Você já tomou café da manhã?

- Não, por quê?
- Tô indo agora.
- Mas tu só pensa em se aproveitar da riqueza dos outros, hein!
- Quando se tem amiga rica é assim, filha. Eu chamo o Carter também?
Carter é o namorado de Amélia e meu melhor amigo, antes ele era amigo do Jake. Ele também invadiu a minha casa no primeiro ano do ensino médio, eu dei uma surra nele só por que posso, sou faixa roxa em Aikido, então depois disso ele quis me pedir desculpas, assim ele ficou sabendo do que o Jake era capaz, de montar toda uma história apenas para se vingar de alguém. Ele deu um soco no Jake por fazer ele de trouxa e começou a andar comigo e com a Amélia, no meio do ano passado ele pediu Amélia em namoro e a boba aceitou. O que eu fiquei muito feliz por que os dois nasceram um para o outro.
- Chama ele quando você chegar aqui, depois de ter tomado banho. Já que ele mora aqui na rua de trás, você é que vem de mais longe, ele chega rápido - respondi.
- Tá bom, vou escovar os dentes e colocar um boné, beijos e até.
- Beijos, toma cuidado.
- Nunca encontrei essa bebida.
- Besta.
Desliguei o celular e fui para cozinha preparar alguma coisa e vi que só tinha ovos e queijo. Peguei o celular de novo e liguei para Amélia novamente.
- Calma, menina! Vou sair de casa agora.
- Traz pão, não tem aqui!
- Depois eu que me aproveito das pessoas, né?! - ela me respondeu. Os pais da Amélia são donos de uma padaria, os pães deles são bons, muito bons.
- Deixa de ser mão de vaga.
- Tá, sua chata.
Desliguei e comecei a fritar os ovos. Depois de ter fritado uns seis ovos a campainha toca, eu abro a porta e é Amélia.
Ela me entregou os pães me deu um abraço e subiu as escadas no automático.
- Depois vem me ajudar.
- Tá – ela falou já no andar de cima.
Depois de uns dez minutos e de eu ter terminado quase tudo ela desceu para o primeiro andar.
- Pensei que ficaria mais tempo boiando na própria sujeira - falei para garota que com certeza estava com mais sono que eu.
- Poxa, eu bem que ia, mas fiquei com medo de dormir e morrer na minha própria sujeira é muita sacanagem.
Comecei a gargalhar do seu sofrimento.
- Liga logo para o Carter – falei entre risos -, por que eu quero comer e ele provavelmente ainda não comeu também.
- Tá - ela pegou o celular que estava no bolso e ligou.
- Quero dormir – Carter atendeu ao telefone gritando -, eu estou sem forças para respirar - ele atendeu já fazendo sua declaração matinal.
- Bom dia - gritamos juntas já que estava no viva voz.
- Bom ou talvez não, falem o que vocês mandam?
- Estou na casa da Blair, vem pra cá! Ela quer contar algo para gente – Amélia explicou.
- Me diz que ela vai morrer e tá deixando tudo para nós, vai diz, diz!
- Que bom que eu sei do seu amor profundo por mim – falei.
- Vou escovar os dentes e chego em 5 minutos.
- Mas da sua casa pra cá é 20 minutos, no mínimo se você estiver andando normalmente.
- Até parece que vou andar até aí – ele deu uma gargalhada -, depois de conseguir meu carro – deu outra gargalhada - nunca mais andarei.
- E VIVA O SENDENTARISMO - gritou Amélia.
- Amém, já estou indo, beijos.
- Beijos - falamos juntas.
E deram certinhos cinco minutos e ele chegou, estava terminando de fazer nossos achocolatados, sim, não bebemos café. Acho que é por isso que temos tanto sono!
Amélia foi abrir a porta, já que ela só cortou os pães, e logo já estavam na cozinha.
Eu me virei com as xicaras nas mãos.
- Bom dia, Carter – saudei quando o vi entrando na cozinha.
- Bom dia. O que é isso, combinaram foi?
E aí eu olhei para onde ele estava apontando, era minha blusa, eu não tinha reparado, mas estava com uma blusa que tinha feito pra mim estava escrita ''tenho sono e daí?'' e depois olhei para da Amélia que eu também tinha feito, mas na dela estava escrito 'Tenho muito sono, algum problema? ''. Comecei a rir junto com Amélia.
- Só faltou você Carter! - disse Amélia.
Na blusa do Carter que eu também tinha feito era escrita ''Tenho mais sono que elas, me arranja logo um travesseiro'', mas ele não estava a vestindo...
- Cadê a Lily? – perguntei me referindo a sua irmã mais nova.
- Foi dormir na casa da Sra. Dolts – ele explicou. A Sra. Dolts era a mãe de uma das amigas fies de Lily, uma mulher com o coração extremamente enorme.
Sentamo-nos e começamos a comer e comecei a contar tudo.
Eles ficaram meio assustados e depois começaram a rir da minha atitude de me apresentar a um suposto ladrão.
- Para tudo - disse Amélia- Como ele se vestia?
- Calça jeans levemente preta, uma blusa azul escura com uma cruz no meio desenhada em preto, uma jaqueta muito maneira de couro e com All Star preto bem maneiros também.
- Então, ele era gato! 
- Como assim? - perguntou Carter - Você nem viu o garoto.
- Mas a Blair só repara na roupa de quem ela acha gato - ela respondeu -, quer ver?
- Claro - dessa vez eu falei junto com o Carter.
- Blair olhando para os meus olhos - ela me disse-, o que o Carter tá usando?
- Não faço a mínima ideia!
- O que o Ryan Seacrest estava vestindo na última premiação que você viu que ele compareceu?
- Terno preto com uma gravata super elegante vermelha fosca, se não me engano era um terno da coleção do Giorgio Armani.
Ela mexeu no celular e nos mostrou Ryan na última premiação que ele havia participado, eu disse detalhadamente o que ele tinha usado, mas eu nem me dei conta.
- Nossa, nem eu sabia desse meu poder. Caramba, sou sinistra mesmo, hein!
- Então você não me acha gato? - disse Carter indignado, o Carter era sim bonito, ele era mais alto que eu, tinha cabelos castanhos escuros com olhos castanhos mel e o físico muito bom, típico garoto forte, mas não exagerado, porém eu nunca tive olhos para ele, e ele era namorado da Amélia então falar que ele era bonito me dava certo nojo.
- Eu não, quem tem que achar é a sua namorada!
- E eu acho, e muito – disse Amélia que deu um beijo em sua bochecha. Eles eram aquele tipo de casal que eu amo, não fica se agarrando na frente de ninguém.
A campainha tocou e me levantei e segui o corredor da cozinha que dava direto a porta, minha casa tinha uma sala de jantar, mas eu e meus amigos preferíamos ficar no apertadinho da minha cozinha.
- Você está esperando mais alguém, Blair? - perguntou Carter.
- Não - eles ficaram na cozinha olhando para porta, já que o corredor dava direto para lá.
Eu abri a porta e lá estava o garoto lindão, e nossa, agora que eu estava acordada pra valer eu o vi e ele é realmente muito bonito. Esse café estava meio que surpreendente, eu só acho.

0 comentários:

Postar um comentário