quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Capítulo 22 - Se preparando

Capítulo 22
Se preparando
- Blair Montello

Desci as escadas rindo e fui direto para cozinha.
- No que posso ajudar? - perguntei amarrando meu cabelo em um coque.
- Já ajudou - ela disse sorrindo e com os olhos lagrimejando.
- Dona Sarah, o que houve? - perguntei chegando perto dela e a segurando pelos ombros
- Ele não te contou? - perguntou secando as lágrimas que estavam prestes a cair.
- Max? - perguntei confusa - O que ele não me contou?
- Se ele ainda não te contou é por que não está preparado. Não se preocupe, logo saberá.
- Esta me deixando preocupada.
- Não, por favor, não fique - ela disse colocando as mãos em meu rosto - Você é uma menina muito bondosa e você não merece se preocupar com coisas antigas.
- Tudo bem - falei contra gosto após um tempo.
- Você pode me ajudar a fazer os acompanhamentos - ela disse se virando para as sacolas de compras em cima da mesa.
- Tudo bem - respondi indo até as verduras que já estavam fora das sacolas.
- Max não irá ajudar, não?
- Ele ainda não desceu - falei rindo.
- Não tem jeito mesmo, no fim de semana ficou sentado vendo eu e Dan fazer tudo.
Mas acho que ele estava muito chateado por causa de certa pessoa - ela sorriu me olhando de canto.
- Muito engraçada a senhora - falei com cara de deboche.
- Mas não é verdade?! Ele ficou bem deprimido - ela começou a rir - Coitado, seu coração foi totalmente roubado.

Nesse ponto eu já estava tentando não olhar para Dona Sarah e ela só ria mais ainda.
- E aí, pessoas! - ouvi alguém falando e batendo a porta, me virei e vi Dan vindo em direção à cozinha.
- Oi, filho - ela disse ainda rindo.
- Oi, do que a senhora está rindo? - ele perguntou a abraçando.
Eu me virei novamente para a pia onde começava a cortar os legumes.
- A Blair é muito fofa, ela fica vermelha quando falo dela e do Max.
- De ela ter roubado o coração do Max? - Dan perguntou.
- Parem - falei me virando toda vermelha -, já chega!
Eles riram mais ainda, pareciam crianças zoando uma outra criança e tento bastante sucesso.
- O que houve? - Max perguntou descendo a escada enquanto coçava os olhos, eu não acredito que ele estava dormindo, pensei incrédula.
- Blair e você - Dan falou tentando parar de rir -, ela fica fofa vermelha.
- Eu sei - ele disse parando ao meu lado e se encostando a pia - mas só eu posso ter o privilegio de ver ela vermelha.
Dei um tapa em seu braço.
- Você não tem privilegio nenhum - falei com raiva.
- Tenho sim, só eu posso te beijar .
- Onw - ouvi as duas crianças nada crianças fazendo para mim.
- CHEGA!

(...)

- Gostou do jantar? - Max me perguntou ao estacionar o carro em frente a minha casa.
- Tirando a parte que fizeram um complô contra mim, foi ótimo.
- Que bom - ele falou rindo e tirando o cinto assim como eu.
- É melhor eu entrar logo – argumentei.
- Por quê? Ainda são 21:45.
- Meu pai disse que é melhor eu chegar em casa antes da 22h.
- Eu sei - ele me puxou para perto - 21:59 ainda é antes das 22h - ele falou antes de colar seus lábios aos meus. Eu o afastei rindo.
- Só me promete uma coisa.
- Claro - ele falou fazendo carinho em minha nuca.
- Nunca vamos virar um casal que atrapalha o filme dos outros no cinema.
- Nem morto! Se quero te beijar, te beijo em outro lugar. Não vou pagar um cinema caro só pra te beijar lá dentro, te beijo onde quiser.
- Você merece um beijo depois dessa - falei puxando a gola de sua camisa e o trazendo para mim. Não sei quantos minutos ficamos nos beijando e rindo de bobagens, mas sei que consegui entrar em casa as 21:59 certinho.
- Droga - meu pai falou olhando para o relógio assim que fechei a porta - Pensei que já poderia reclamar do horário, mas o garoto é bom, colocou você pra dentro 21:59 certinho.
Comecei a rir.
- O senhor viu o carro estacionado?
- Claro que sim, sua mãe não me deixou pegar o binoculo para olhar dentro do carro, nem deixou tacar um balde de água no carro.
- Que horror, pai - falei, mas não conseguia parar de rir.
- O quê? Sou pai, oras.
- Ok, desculpa - falei levantando as mãos - Vou dormir, boa noite - dei um beijo em sua bochecha e subi a escada.
- Mãe - chamei por ela quando cheguei ao andar de cima.
- No quarto, meu amor - escutei e fui em direção a sua voz – Oi, querida, como foi o jantar? - ela me perguntou quando entrei no quarto.
Ela estava sentada no fundo da cama lendo um livro.
Fui a sua direção me jogando na cama.
- Foi legal, a Dona Sarah é maneira.
- Então você gosta da sua sogrinha?! - ela perguntou erguendo uma sobrancelha.
- Não começa - joguei o travesseiro em sua cara a fazendo rir
- Não resisti - ela disse ajeitando o travesseiro em seu colo - Tive que tirar algo para zoar ou você prefere que eu fique zoando você estar apaixonada pelo Max?!
- Pare, mãe - falei entalando minha cabeça na cama.
- Tenho que zoar algo filha, não consigo não zoar. Meu ser pede por isso!
- Eu entendi - falei me levantando -, boa noite
- Até minha linda, tenho bons sonhos.
- VALEU - gritei do corredor.
- COM O MAX - ela gritou e eu bati a porta do meu quarto a escutando rir e meu pai perguntando o que o Max tinha haver com sonhos.

(...)

- Acorda, dorminhoca - alguém me chutou pra fora da cama.
- Quê isso? - perguntei me levantando do chão e arregalei os olhos quando vi quem era - CAIO - gritei pulando em cima dele.
- Oi, minha gatinha - ele me segurou no colo dele - Como você está?
- Agora estou perfeita - eu disse beijando sua bochecha enquanto ele me deixava no chão.
- Eu quero que você conheça minha namorada –ele explicou feliz.
- Que lindinho - falei dando pulinhos - Meu priminho trouxe a namorada para me conhecer.
- Claro que sim, como eu também quero conhecer o seu namorado.
- Como você soube?
- Depois que cai na boca do meu pai vai para família toda, sabe disso.
- Tio Ron é top, muito divo aquele cara - falei me adiantando para o armário e escolhendo minhas roupas - Vou me arrumar para conhecer essa menina.
- Ok, ela está te aguardando. - ele falou saindo do quarto.
- Ela está aí? - perguntei assustada.
- Sim, senhora.
- Tá bom, vou rapidinho.
- Tá, e avisa para o seu namorado que hoje você não precisa que ele te busque, mas não fala que sou seu primo. Quero ver a reação do carinha.
- Não vou fazer isso - falei e fechei a porta do banheiro indo tomar banho. Arrumei-me bem rápido e coloquei um casaco roxo meio que estilo tomara que caia só que com mangas, uma calça jeans preta e fiz um rabo de cavalo no cabelo.
Sai do quarto e encontrei minha mãe no corredor.
- Bom dia, mãe - falei sorrindo.
- Batom e lápis nos olhos - ela apontou para o quarto - AGORA - ela gritou.
- Argh - falei mexendo os dedos histericamente como se eles fossem facas querendo matar alguém.
- Nem adianta fazer manha!
Voltei para o meu quarto e passei lápis nos olhos e coloquei o batom mais claro que eu encontrei.
- Pronto, assim está perfeita - ela falou me vendo descer os degraus.
Fui para sala e vi a menina loira sorrindo ao lado do meu primo que a envolvia em um abraço pelos ombros.
- Bom dia, pessoal - cumprimentei meu pai que estava perto da escada e depois fui em direção à menina.
- Blair, essa pessoa linda aqui é a Kristen - ele falou enquanto ela sorria - E Kristen, essa é minha prima mais que perfeita, Blair.
- Olá - ela disse sorrindo, ela tinha a voz super calma e leve, deu até vontade de dormir após ela dizer algo - Ouvi falar muito de você.
- Eu também ouvi falar de você - falei rindo.
- Espero que bem, por que de você só tem elogios.
- Muito bem, pode acreditar! Só coisas boas - falei olhando para o meu primo.
Ele piscou pra mim enquanto puxava Kristen para mais perto.
- Ah, Blair - ele falou tirando o celular do bolso, meu celular - Já avisei para seu namorado que você vai ir para escola com outra pessoa.
- Você pegou meu celular? - perguntei indignada - Me devolve isso.
- Só depois de conhecer o carinha.
- Apoiado Caio - meu pai disse vindo em minha direção enquanto ajeitava a gravata.
- Pai - exclamei -, não concorde!
- Concordo sim - ele falou concordando histericamente com a cabeça.
- Vamos, se não você vai se atrasar para escola.
- Ok, mas me devolve meu celular!
- Não - ele falou e foi em direção ao carro enquanto Kristen seguia atrás dele dando risadinhas.
- Que saco – resmunguei.
- Kris, você pode ir atrás, só pra parecer que eu tô com a Blair - Caio pediu a sua namorada.
- Tá de brincadeira, né? - perguntei indignada.
- Não - ele falou sorrindo.
- Eu não vou na frente - falei entrando para os bancos de trás.
Ele entrou no carro rindo e foi em direção a minha escola ao lado da Kristen no banco da frente.
Quando ele estacionou eu sai do carro já mirando Max que estava encostado em seu carro conversando com o restante do pessoal. Eu dei um passo a frente e senti alguém me puxando pela cintura, era o idiota do Caio.
- É aquele? - ele me perguntou - Até que parece ser maneiro.
- Tá, agora me solta – mandei.
- Só quando ele olhar pra cá, chama logo ele!
- Não - falei com raiva.
- Ok, a gente espera – ele falou e eu bufei.
Max com toda certeza iria ficar com raiva, ele não sabia quem era aquele garoto ao meu lado. Eu vi Carter chegar com duas latinhas de refrigerante e entregar uma para o Max que ria de algo.
- Olha - chamei Caio -, o sinal já vai bater, então é melhor deixar esse plano maligno para mais tarde.
- Você vai falar pra ele?
- Vou - disse mostrando que esse fato era óbvio.
- Então, não!
- Argh, vai ficar com a Kristen.
- Ela me compreende, ela sabe que tenho que proteger minha prima.
- Isso não é proteger e sim estragar o namoro da prima que está indo muito bem.
- Está? - ele perguntou rindo maliciosamente.
- PARA – gritei.
- Valeu por chamar atenção dele –ele agradeceu.
- Como? - me virei para o Max e vi a latinha bem amassada em sua mão - Te odeio Caio!
- Para de mentir - ele disse rindo enquanto encarava Max que vinha em nossa direção.
- Max, ele é meu primo - falei logo que ele se aproximou.
Ele pareceu levar um pequeno susto e depois relaxou.
- Ah - ele soltou.
- Ele é ciumento - Caio falou.
- Cala a sua boca - falei rangendo os dentes.
- Prazer em conhecer - Max falou oferecendo a mão limpa do refrigerante que ele tinha feito explodir dentro da latinha.
- Prazer, meu nome é Caio - falou apertando sua mão - Tu é bem controlado, eu teria caído no pescoço do cara mesmo sendo primo.
- Depende do momento. - Max falou rindo - Normalmente teria feito à mesma coisa que você.
Eles começaram a rir.
- Homens são doentes - falei aterrorizada .
- Concordo - Kristen falou ao meu lado.
- Que susto - falei colocando a mão no peito.
- Desculpa - ela pediu rindo.
- Tudo bem, só tira teu namorado daqui, por favor! – pedi em modo dramática.
- Deixa comigo - ela piscou pra mim - Caio, podemos ir embora? - ela pediu com carinho - Estou meio enjoada - ela falou com uma cara de coitada.
- Tá bom - ele respondeu me soltando na hora - Tchau gente, toma seu celular – ele me entregou o celular e entrou no carro correndo.
- Tchau, Blair - Kristen se despediu e entrou no carro, em segundos eles já tinham ido embora.
- Meu Deus, meu primo é um tapado - falei olhando para o carro que se distanciava rápido - Você viu como ele acreditou fácil nela? - perguntei apontando para onde Kristen estava.
- Como assim? - ele perguntou.
- Ela não estava passando mal - falei como se fosse óbvio seu fingimento, e era!
- Eu acreditei.
- Homens são tapados.
- Desculpa se acreditamos no que nossas namoradas falam - eu ri com seu comentário.
- Ok - falei ainda rindo - O que houve com a pobre latinha? - apontei para sua mão que carregava a latinha amassada e suja de refrigerante.
- Ela entrou em combustão e estourou –ele explicou olhando rapidamente para sua mão.
- Devia estar com defeito - falei me aproximando dele.
- E que defeito - ele disse colocando a mão livre em meu rosto e depositando um beijo leve em meus lábios. - Bom dia.
- Bom dia - falei rindo e partimos em direção aos carros dos nossos amigos
- Olá, pombinhos - Amélia cumprimentou rindo - O que o Caio veio fazer aqui?
- Bobagem, né! - falei com raiva.
- Ele é maneiro - Stella disse - Mas prefiro garotos mais darks.
- Que bom! - David falou e Stella riu.
- Blair, vamos ao shopping hoje? - Stella me perguntou.
- Você, querendo ir ao shopping? O que aconteceu? - perguntei assustada.
- Meus pais vão participar da festa de Halloween como pais responsáveis, aí eles me forçaram a ir à festa. Então preciso de uma fantasia.
- Posso ir também? - Amélia perguntou rindo.
- Não - Stella respondeu de imediato - Você é louca!
- Eu não poderia mesmo - ela mandou língua para Stella que revirou os olhos.
- Oi, gente - Sofia cumprimentou chegando ao nosso lado.
- Oi, Sofh - falei sorrindo.
- Bom dia - Dan falou rindo, como sempre, e abraçando Sofh pelos ombros.
- Eu gostaria de convidar vocês para a apresentação de ballet que acontecerá esse sábado na Academia de Dança Flawless - ela falou tirando vários convites de dentro da bolsa e entregando a cada um de nós.
- Eu adoraria que todos vocês fossem - ela falou sorrindo.
- Eu já estou lá - falei abrindo o convite que mostrava várias fotos das dançarinas e da academia
- Todos nós iremos - David afirmou.
- Com certeza - Amélia disse alegre.
- Obrigada - Sofia agradeceu sorrindo.

(...)

- Por onde quer começar a procurar sua fantasia? - perguntei para Stella.
Já estávamos dentro do shopping, depois da escola Stella fez David nos trazer até o shopping para podermos escolher com calma sua fantasia.
- Lojas do subsolo, elas são as melhores – Stella disse confiante em encontra sua fantasia.
- Tá, mas como você quer sua fantasia?
- Uma fada –ela disse me assustando.
- O que? - perguntei quase que em um grito.
- A Amélia quer uma fada, ela vai ter uma fada. Só que morta – ela explicou sorrindo,
- Uma fada zumbi?
- Exato - ela falou sorrindo, mas agora diabolicamente.
Comecei a rir, mas não sabia se era de medo ou de terror com a cara da Stella.
- Então vamos procurar - fomos em direção ao subsolo para as lojas de fantasias.
- Que tal uma fadinha negra? - apontei para uma loja que na vitrine havia uma fantasia de fada negra.
- Não - ela disse olhando para outras lojas -, quero uma bem colorida para eu mesma ter o prazer de acabar com a fantasia e deixa-la a minha cara.
- Ok - falei indo atrás dela para outras lojas.
- E você, já tem ideia de como vai vestida?
- Tenho algumas ideias mais ainda não decidi - falei olhando as vitrines.
- O David vai ir de Jack.
- O mundo estranho de Jack? – perguntei maravilhada.
- Esse mesmo, ele vai ficar muito gato – ela falou sonhadora.
- Ãrrã - falei rindo da sua cara de sonhadora psicopata com seu namorado.
- E o Max? Sabe como ele vai?
- Ele não me falou nada.
- Ele parece que não está muito empolgado. Que tal aquela loja? - ela apontou para a loja e entramos.
- Verdade, não parece - disse me lembrando do que a Dona Sarah tinha me falado.
O que ele não estava preparado para me contar?
- Você está bem?- Stella me perguntou a me ver parada na porta.
- Estou- sorri - Só estava me preparando.
- Para que?

- Ainda não sei.

0 comentários:

Postar um comentário