quinta-feira, 19 de abril de 2018

Resenha de Ilha dos deuses da Nora Roberts






Ilha dos deuses — Nora Roberts, Editora Harper Collins
204 páginas — 4,5  + 




Olá, pessoas normais, estranhas e não tão estranhas assim.



Esse ano eu tirei para ter novas experiências na minha vida literária. Já li Júlia Quinn e seu falado livro (e pretendo ler todos os outros agora!) e essa foi a vez de Nora Roberts, que deve ser a autora com mais livros publicados que eu tenho conhecimentos (meu Deus, 160 romances, tá!).


A leitura se tratou de um romance rápido, misterioso e, para mim, bem surpreendente.




"O destino é um fenômeno estranho e maravilhoso."


O livro, narrado em terceira pessoa, vai apresentar Morgan James, uma americana que trabalha como intérprete da ONU e, após recusar diversas vezes tirar suas merecidas férias, aceita ir para a Grécia, conhecer o novo lar de sua melhor amiga, Liz, que há alguns anos casou-se com um milionário grego.


Morgan está verdadeiramente feliz e relaxando pela primeira vez em muito tempo, sendo cercada por amigos. O ar da Grécia é tranquilo, repleto de lendas e com alguns homens extremamente galantes para flertar. Até que Morgan decide que um mergulho a luz da lua  poderia ser uma experiência deliciosa, porém, para Morgan tudo se desdobra em algo perigoso e misteriosos.





Nessa noite ela é mantida, por alguns minutos, refém de um homem armado. Morgan sente o terror correr por todo seu corpo, desesperada e agoniada, ela termina por desmaiar e, assim que acorda, conhece seu captor que, no máximo, a deixou com um arranhão. Nicholas Gregoras não é nada menos do que um homem charmoso, rico e, até agora, de caráter duvidoso. Morgan não acredita que ele seja uma boa pessoa, mas o homem, após o incidente que diz ser por culpa dela estar em perigo, ele volta a aparecer em cada canto, em festas e passeios que seus amigos promovem.




"Estava tão quieto que ela podia ouvir as ondas quebrando suavemente na areia a alguns metros dali. Acima de sua cabeça, em meio aos espaços entre a folhagem, as estrelas ainda brilhavam. Aquilo devia ser um pesadelo, disse a si mesma. Não podia ser real. Mas quando tentou se mexer, o peso do corpo vigoroso sobre o seu provou ser muito real."


O romance começa a acontecer quase que desde o começo do livro, não verdadeiramente dito, com um amor e tudo mais, mas mesmo assim o magnetismo e a tensão entre Morgan e Nicholas é quase palpável, e a personalidade forte dos dois batem de frente o tempo inteiro, o que me causou muito interesse em como cada um iria aceitar o outro.


Mas o que eu achei que fosse ser um romance apenas, se desdobra em uma cena de crime que nossa própria protagonista descobre. Um assassinato, e Morgan fora quem descobrira o corpo, vira evidências, e a viagem dos sonhos se transforma em um mar de suspeitos. 





Durante toda a leitura eu suspeitei de cada personagem! Não havia nenhum bonzinho o suficiente para ser confiável, senti mesmo pena por Morgan, ela não podia confiar em ninguém para depositar seus pensamentos. E Nicholas, o homem que parece querer protegê-lo a todo custo por culpa da atração que sente por ela, não mostra suas verdadeiras intenções durante as investigações, e nem mesmo quando li sobre as cenas dele, não soube dizer se ele era um criminoso ou alguém em que nossa protagonista poderia crer nas palavras ditas.




"Ele a fizera sentir medo desde o primeiro instante. Mesmo a amando, não poderia lhe proporcionar nada mais. Não tinha o direito de lhe dizer, naquele momento, que seu coração pertencia a ela. Uma vez que lhe dissesse, Morgan talvez lhe pedisse para abandonar suas responsabilidades."


A leitura em si foi cheia de reviravoltas, cada um mais surpreendente, a autora nos força a suspeitar de cada pessoa que passa por Morgan, mesmo aqueles personagens que gostamos. Nicholas é um personagem da qual sentimos a relação de amor e ódio, ele é muito duro com Morgan o tempo inteiro, mas também nos faz entender o porquê disso, do porque quere-la longe e protegida. E Morgan é realmente uma heroína, corajosa até a última página, ela quer desmascarar o assassino que ronda a ilha e que está propagando o terror no meio de seus amigos pela morte causada. Foi realmente uma excelente leitura, uma coisa alí ou aqui que eu não gostei, mas não algo que me fizesse parar a leitura ou não apreciar a escrita da autora que, aliás, é realmente incrível. Nada de mais, porém com analogias nos pontos certo e romance na quantidade adequada, sem estragar o mistério incrível e a personalidade forte de Morgan.




Recomendo para todos que ainda não leram Nora Roberts, e para aqueles que já conhecem a escrita dela, podem correr parar ler "Ilha dos deuses" e morrer de curiosidade a cada página virada e, ao encerrar, finalmente sanar todas as suas suspeitas.




Pode ser adquirido em:







0 comentários:

Postar um comentário